O atual momento de restrições causadas pela pandemia de coronavírus exige dos empreendedores um alto nível de controle e organização financeira da empresa. Essas restrições podem trazer inúmeras implicações para os negócios, o que inclui: a queda no faturamento e da produção, redução no movimento de clientes, a impossibilidade do comparecimento de funcionários nos postos de trabalho, dentre outros.

Assim, o gerenciamento das finanças mais do que nunca se tornou uma obrigação dos empresários. Entretanto, ainda é muito comum vermos empreendedores cometendo uma série de erros simples, por pura falta de planejamento e análise financeira da empresa. Dentre essas falhas, as mais comuns são:

  • Misturar as contas da empresa com as contas pessoais, confundindo o patrimônio individual e empresarial;
  • Falta de conhecimento sobre os números da empresa e de planejamento financeiro;
  • Contração de dívidas sem a devida previsão de receitas.

Por essas e outras, é muito importante aproveitar esse momento para replanejar o destino da sua empresa. Um planejamento detalhado, que indique quais serão suas metas, objetivos e planos de ação é algo fundamental.

Como manter a organização financeira da sua empresa em tempos de coronavírus

Nossa analista de Sucesso do Cliente, Kamila Marafon, fala sobre como organizar a gestão financeira da sua empresa diante das restrições impostas pelo coronavírus. Veja dicas de como planejar empréstimos, gerir cobranças e muito mais, para manter as finanças em ordem até que a economia volte ao normal.

Como se preparar para superar essa crise?

Além do vídeo acima, disponibilizado pela Kamila, listamos algumas medidas que vão lhe ajudar nesse processo. Vejamos quais são elas:

1. Preveja, analise e ajustes as despesas da sua empresa

Para começar, realize um levantamento das despesas previstas para os próximos três meses e separe os valores de acordo com o tipo de despesa. Veja um exemplo de lista de despesas que você precisa levar em conta:

  • Salários;
  • Aluguel;
  • Água, luz e telefone;
  • Materiais de escritório;
  • Materiais de limpeza;
  • Materiais para produção.

Separe os valores por mês (exemplo: maio, junho e julho) e faça a soma total para descobrir quais serão as despesas principais da sua empresa durante esse período. Se você já utiliza o sistema SBGestor, poderá verificar esse tipo de informação através de relatórios e gráficos de forma automatizada, em poucos segundos.

Conhecendo as despesas que deverão ser pagas nos próximos meses, você encontrará facilidade para definir as ações corretivas, priorizando sempre aquelas que geram maior impacto no negócio e que possam ser negociadas.

Se houver uma redução no faturamento da empresa, será preciso ajustar as despesas de acordo com essa situação, tomando providências como:

  • Negociar um aumento de prazos de pagamento dos compromissos da empresa com seus fornecedores;
  • Renegociar dívidas com instituições financeiras (se houver) visando também aumentar o prazo de pagamento;
  • Evitar fazer despesas que não sejam extremamente necessárias para a continuidade do negócio.

2. Busque alternativas de faturamento e aposte nas vendas online

Uma outra medida importante é tomar algumas providências que possibilitem aumentar o faturamento. Exemplos:

  • Criando promoções para produtos que estão parados no estoque;
  • Disponibilizando serviços de compras online e de entregas para manter os clientes ativos;
  • Diversificar e ampliar as formas de pagamento (lembrando que, nesse período, cresceu ainda mais o número de pessoas utilizando cartões ao invés de dinheiro);
  • Implementando uma estratégia de divulgação de produtos através do marketing digital: Whatsapp, Instagram, Facebook, site, aplicativos, etc, dependendo do seu ramo de atuação e de qual canal é mais fácil o cliente encontrar sua empresa para fechar negócio.

3. Atenção redobrada ao fluxo de caixa

De nada adianta tantas atitudes para manter a organização financeira da empresa durante as restrições do coronavirus, se o fluxo de caixa estiver totalmente desorganizado.

Realizar a gestão do fluxo de caixa da empresa é uma obrigação de todo empreendedor que deseja ter um negócio saudável financeiramente. Assim, considere de perto as receitas e despesas previstas. Desta forma, você não corre o risco de não ter dinheiro para pagar os compromissos assumidos.

E então, o que você achou das dicas que encontrou neste artigo? Deixe um comentário!

 

Inscreva-se na Newsletter

Gostou deste artigo? Inscreva-se gratuitamente e receba novos conteúdos em primeira mão no seu e-mail!


Deixe uma resposta